Um olhar para o futuro da ABM

Entrevista com Ricardo Magalhães, presidente da ABM.

O que se comenta é que a ABM está com “muito dinheiro em caixa”. Por que não é aplicado em melhorias, benfeitorias revertendo para os associados?

Realmente isto é a mais pura verdade e a diretoria da ABM não esconde isto. Tanto que nas demonstrações de nossas contas, publicadas no Jornal da ABM, você encontra tudo discriminado. E tem ainda as pastas com os comprovantes, analisados pelo Conselho Fiscal, que ficam na sede à disposição do associado.

Só que o dito “muito dinheiro”, está bloqueado e somente com a autorização de uma Assembleia é que podemos fazer uso deste numerário. O que nos cabe fazer e apresentar projetos que sejam factíveis, de interesse e que agreguem não só valor patrimonial à ABM, mas que integrem os associados beneficiando-os do local e de serviços, atividades esportivas e eventos culturais e sociais disponibilizados para seus familiares. Apresentamos nesta edição uma matéria explicativa pelo vice-presidente Administrativo.

Que ambiente é esse que está sendo erguido junto à piscina com construção estranha e diferente do habitual?

Pois vamos ao local... Trata-se de construção da secretaria da piscina.

A piscina necessitava de local em que pudéssemos atender aos usuários com mais qualidade e atenção.

Vamos por partes: a construção denominada “steel frame” segue modelo industrial, que é classificado como CES - Construção Energitérmica Sustentável, pois tem grande eficiência energética somada ao menor impacto ambiental, com grande rendimento na execução, baixo desperdício e com possibilidade de reciclagem do material. No futuro podemos levar este ambiente para outro local, se assim desejarmos. O canteiro de obras fica limpo e há baixo consumo de água, o que atende nosso compromisso com o meio ambiente. É construção térmica e acústica. Como construir perto da piscina sem provocar sujeira com areia, tijolos etc. sem prejudicar o uso da piscina pelos associados e sem paralisar as aulas? Como estamos fazendo, não poluímos e nem paralisamos as atividades.

Há questões que não podemos esquecer. Quantos deixam de usar a ducha antes de entrar na piscina? Quantos não apresentam carteira de associado? Todos pagaram efetivamente as aulas? Qual o controle que possuímos? Qual nossa frequência?

Obra-102

E a obra da Rua Henrique Cordeiro? Como está?

É outra situação que vivemos e está em plena atividade construtiva. É sempre bom lembrar, no entanto, que “obra nova” tem características construtivas que nos permitem planejar com maior facilidade. Já na obra de reforma e adaptações, que é o caso, existe sempre o fator surpresa que nos toma tempo para correção. Imagine que encontramos uma caixa de esgoto no meio do salão. Tivemos que pesquisar toda a rede hidráulica, para anular este elemento. Vai ficar muito bom, com novos banheiros, inclusive para cadeirantes, ar condicionado tipo Split, teto rebaixado, sala para vestiário dos usuários do salão, varanda ampliada, reparos na cozinha, churrasqueira etc. O projeto contempla ainda, para o futuro, possibilidade de construção de escada para acesso ao piso superior, ampliando assim, para mais um salão de recreação aos associados. Mas isto é outro projeto e outra ocasião.

Obra-109

E a piscina para crianças, não foi aprovada esta obra? Como está o projeto?

Outra boa lembrança e aqui cabem esclarecimentos. O projeto está sendo concluído e a piscina terá as dimensões de 10m x 5m. Será contemplada com aquecimento e terá também cobertura. O profissional Marcelo F. Costa, da empresa MF 8 Esportes, tem nos assessorado para a elaboração de indicativos e que repassamos à arquiteta, Andreia Signorelli, que residiu no Lyon, profissional que tem no seu currículo projetos para piscinas dos locais Aqua Fitness Academia, Casa Ipanema Grendene - projetos da área externa, CEMP - Centro Educacional Marapendi - projetos de arquitetura; condomínio Interlagos de Itaúna - projeto de arquitetura para alojamento de funcionários. Estamos contratando também o engenheiro Fábio Amaral, que construiu a nossa piscina semiolímpica, para que ele acompanhe e fiscalize estes serviços. O projeto contemplará inclusive vestiário infantil, que hoje é uma necessidade básica e obrigatória, segundo nossos princípios de proteção às crianças, item primordial para atender estes pequenos. “Nossos pequenos” a quem devemos carinho, atenção e cuidados.

O que os associados ainda podem esperar de sua gestão?

A realidade da ABM nos convoca a olhar para um futuro que não pode mais esperar diante da velocidade que ele se apresenta. Lembro de uma citação do Almir Klink, em 2002, na expedição isolada que realizou para a Antártica:

“Já ancorado na Antártica, ouvi ruídos que pareciam de fritura. Pensei: será que até aqui existem chineses fritando pastéis? Eram cristais de água doce congelada que faziam aquele som quando entravam em contato com a água salgada. O efeito visual era belíssimo! Pensei em fotografar, mas falei para mim mesmo:

- Calma. Você terá muito tempo para isso...

Nos 367 dias que se seguiram, o fenômeno não mais se repetiu. Algumas oportunidades são únicas!”

Complexos esportivos, clubes e associações como a nossa estão sempre em movimento e exigindo que se faça alguma construção. Assim também é a ABM. Os modelos construtivos, os hábitos, os costumes e as necessidades são alterados a cada dia. É preciso, sempre fazer alterações para melhorar o sistema ABM. Temos que olhar para no “crescer” atender as novas exigências, diante das expectativas que o dia a dia nos mostra! Mas para isto é necessário e importante que a ABM tenha um “Plano Diretor”, que determine e direcione o nosso futuro, em expansões construtivas de interesse e úteis.

Enquanto trago “meu sonho para todos” apresento também, na nossa “imaginação”, o que consideramos o melhor para atender a demanda reprimida na ABM, por estarmos limitados à espaços que cada vez mais se mostram diminutos, para receber o quanto temos de eventos, recreação, cursos e muitas outras atividades para os associados. E o que podemos construir? Um ginásio multiuso.

Algo a ser destacado?

O salão sede da ABM – Nelson Gallo sofreu em 16 de janeiro deste ano, um grave acidente que nos levou a interditá-lo. Fortes chuvas que desabaram na cidade do Rio de Janeiro, volumétrica em intensidade maior na Barra da Tijuca, acompanhada de ventos com mais de 70 km/h inundaram o salão e o telhado arriou mais de 40 cm. Pasmem! O mais preocupante foi que descobrimos ao retirar as lâminas do rebaixo existente: as caixas das cantoneiras em ferro que formavam os suportes do telhado, não eram em “treliças”. Convivíamos, sem saber, com um risco de gravíssimo acidente!

Foi um “corre-corre” que nos levou a adotar urgentemente medidas técnicas para distribuir suportes com andaimes tubulares pelo salão e com ajuda do VP Administrativo, Amaury Martins, do engenheiro Gastão Cunha, do Conselho Fiscal, do primeiro presidente da ABM, Adalsino Gonçalves, do engenheiro Eduardo do condomínio Royal, da Deusa Costa síndica do Barra Golden, do gerente geral da ABM, Luiz Carlos, e de diversos empregados. Promovemos um mutirão de esforços em operação de engenharia e gestão financeira que recuperou o telhado e os suportes, agora executando treliças, em tempo recorde (20 dias), trabalhando intensamente. Isto permitiu que o baile de Carnaval Infantil, tradição na associação, fosse realizado e apresentasse mais um sucesso.

Isto nos levou a constatar o quanto estamos limitados neste espaço do salão, pois que suspendemos, neste período, diversos eventos sociais, culturais, esportivos e administrativos por falta de espaços. O grupo do Coral utilizou o salão do Condomínio Lyon, nosso vizinho, reunião da VP Transportes foi realizada do Cond. Barra Golden, as aulas de dança foram para o canal na churrasqueira, aulas de Judô, Jiu-Jitsu e Aikidô foram para o refeitório dos empregados. Remanejamos a administração alterando o lay-out dos ambientes por motivo das infiltrações no teto. Desestrutura operacional e funcional total...

Pelo visto você ainda não está satisfeito com todas as realizações. Qual será o legado de sua gestão?

Repito minha frase sobre o que estamos constatamos: estamos limitados e perdendo receitas não só financeira, mas também a receita de valores de autoestima esportiva e social aliada à qualidade de atendimento ao associado que participa da ABM e privamos aos novos associados, que não tem como usufruir da ABM: não há espaço construído para atender estas demandas!

Já está na hora da ABM estabelecer um “Plano Diretor”, que permita nortear para onde devemos ir e como chegar. Digo mais, que seja aquele “Plano Diretor” que outras diretorias no futuro o atendam e façam acontecer por entendê-lo na importância que representa. Que os associados em Assembleia, decidam e determinam o como fazer.

Você quer ver uma coisa: os empregados da ABM não têm vestiários adequados, dignos e que atendam as normas de higiene e segurança de trabalho. A preocupação neste item sempre foi alertada pelo gerente geral, Luiz Carlos, e diretores também demonstram interesse para realizá-los. E o que imaginamos? Um novo local – um vestiário masculino e outro feminino, incorporado ao refeitório existente na base inferior no mesmo nível das áreas da piscina, quadras de tênis. Teríamos inclusive, um local para descanso e laser dos empregados após suas refeições.

A realidade da ABM, nos dias atuais, nos convoca a olhar para um futuro que não pode mais esperar.

Ricardo-105

A participação dos associados é satisfatória?

A gente vislumbra o futuro da ABM em segmentos de uso dos associados. Quer ver outra coisa? Existe um grupo enorme de associados que utiliza nosso sistema de transportes e desconhece as áreas de lazer. Outros usam as instalações do Canal e nem passam pelo do bosque, não sabem do cabeleireiro, da piscina... Outros desconhecem que existe um Grupo da 3ª Idade, que temos um Coral, que recebemos profissionais do Sebrae, Senac e SESI com suas palestras e eventos, que nosso campo de pelada foi eleito o melhor da Barra da Tijuca. Outros reclamam que não temos cursos ou não divulgamos informações: esquecem que temos o semanário “Ao Pé do Ouvido” e o Jornal da ABM com edições mensais... Muitos não sabem que estamos mudando para melhor, por exemplo, modernizando o sistema de transportes com diversas ações.

Alguma novidade está por vir?

Uma imagem vale mais que mil palavras: quem já não ouviu esta frase?

Nas imagens a seguir apresento perspectivas das obras na ABM,representações que mostram ambientescomo visto “ao vivo”, em três dimensões.

Pensem no que apresentamos: um novo momento na ABM! Um futuro melhor ainda, para todos nós!