ABM insiste

Só com muitos pedidos... e paciência!

João Luiz Leite Rabello

Frequentemente buscamos junto ao poder público solução para os problemas em nosso entorno. São ofícios, contatos pessoais nas reuniões comunitárias, e-mails, ligações para o número 1746, SMS, matérias jornalísticas, enfim lançamos mão de todas as formas de comunicação.

Infelizmente, as soluções não acontecem na velocidade que desejamos: burocracia operacional, falta de recursos, pouco engajamento da área demandada, ineficiência do servidor, resistência à ideia/sugestão, são as mais correntes.

Cito, por exemplo, o problema que nos causou a retirada do ponto de ônibus em frente a nossa sede da Afonso Arinos. Só conseguimos reverter a situação após um ano, nada obstante os insistentes e acalorados pedidos (até agora, pasmem, não conseguimos que a CET RIO pintasse a faixa no asfalto demarcando a área definida para embarque/desembarque).

As demandas por serviços públicos são realmente expressivas, os recursos são finitos e os diversos órgãos acabam sendo forçados a priorizar as ações que são mais demandadas pelas comunidades/cidadãos.

Sempre que um morador, ou qualquer pessoa, nos procura com um pedido – claro, se viável e inédito (por vezes já nos antecipamos) - levamos o assunto aos entes públicos. A partir daí incluímos o pleito no rol das cobranças que são acompanhadas periodicamente.

Recentemente, só para exemplificar, promovemos um encontro com o Secretário-Chefe da Casa Civil da Prefeitura, Sr. Pedro Paulo Carvalho Teixeira para discussão das pendências junto à Prefeitura. Acertamos várias ações nessa reunião. Umas foram levadas a cabo, outras iniciadas e suspensas e outras ainda não foram implementadas. Mas nós não desistimos: continuaremos cobrando as ações e as promessas.

Por tudo isso o trabalho de interação que a ABM busca com os poderes públicos se figura importantíssimo para que a nossa comunidade tenha atendida as suas demandas, mesmo de forma tardia.